13/10/2021

10:34

Quais as principais doenças que podem acometer bezerros(as) e os prejuízos que elas podem trazer?

Parte I

A partir de hoje, daremos início a postagens sobre doenças de importância econômica que atingem bezerros(as) no primeiro ano de vida. As postagens serão quinzenais e visam trazer informações que ajudem os criadores a manterem a saúde e o alto desempenho na fase de cria, tanto de leite como de corte.

A diarreia é considerada uma das principais causas de perdas de bezerras – ou bezerros – na bovinocultura brasileira. De alta morbidade e mortalidade considerável em bezerros neonatos, as diarreias merecem a atenção especial do produtor e técnicos, uma vez que pequenos detalhes podem culminar em grandes prejuízos econômicos e sanitários ao rebanho.

Nas primeiras semanas de vida, os bezerros necessitam de mais cuidados e proteção devido a sua elevada susceptibilidade às infecções; por este fato, a prevenção e o diagnóstico precoce são de extrema importância. O colostro é fator fundamental e determinante para a manutenção da sanidade dos bezerros, evitando doenças e permitindo o melhor desenvolvimento dos animais; este é um alimento insubstituível, pois é rico em imunoglobulinas que são fundamentais para a saúde do recém-nascido. A correta colostragem deve levar em conta a quantidade e qualidade do colostro ingerido e também o momento em que foi realizada. É imprescindível que seja nas primeiras horas pós-parto, pois é neste período que os neonatos conseguem absorver as imunoglobulinas intactas para obterem proteção. A limpeza adequada de instalações ou piquetes, incidência de sol e ventilação, são pontos que não podem ser negligenciados.

As bactérias estão entre os principais agentes causadores de diarreias em bezerros recém-nascidos. A Escherichia coli causa a colibacilose; a Salmonella spp, conhecida por “paratifo” dos bezerros e a enterotoxemia hemorrágica, causada pela toxina do Clostridium perfringens tipo C (enterite hemorrágica). Essas diarreias causam grandes perdas econômicas em rebanhos devido ao baixo desenvolvimento dos animais, comprometimento produtivo posterior e morte de animais.

O rotavírus e o coronavírus bovino são os agentes virais mais comumente envolvidos na diarreia neonatal.

Para as causas infecciosas, citadas anteriormente, como estratégia de controle, preconiza-se a vacinação das mães aos 60 e 30 dias pré-parto, para que haja transferência de imunidade passiva através da ingestão do colostro. Outra estratégia utilizada na prevenção das diarreias são o uso de pré e pró bióticos na alimentação dos bezerros, com objetivo de favorecer a colonização do trato gastrointestinal por bactérias funcionais.

Outra causa importante de diarreia viral em bovinos é o BVDV (vírus da diarreia viral bovina), que normalmente é tratado como doença reprodutiva pelas perdas causadas. A diarreia, neste caso, é geralmente crônica e aparece em animais persistentemente infectados (PI) que são fonte de infecção para todo rebanho, merecendo atenção por este motivo.

Como causas parasitárias são relatadas a eimeriose, que será abordada em texto separado pela importância que vem adquirindo, e altas infestações de vermes gastrointestinais.

No nosso portfólio, contamos com um aditivo muito efetivo na prevenção da diarreia que é o Activo Calf. O tratamento é bastante prático, podendo ser fornecido diluído no leite ou adicionado em rações iniciais ou suplementos para creep feeding. Esse produto conta com as ações bactericidas e anti-inflamatórias dos óleos essenciais, bem como efeitos pré bióticos e adsorventes da parede de leveduras. Além disso, estimula o crescimento das vilosidades intestinais, o desenvolvimento do sistema gastrointestinal e estimula o consumo de alimentos sólidos precocemente.

Me. Lúcio Franciosi Carvalho

Médico Veterinário com especialização em nutrição de gado leiteiro e mestre em produção de gado de corte

Promotor de Vendas da VitallTech do Brasil®

Deixe seu comentário

Economia

seu orçamento está vazio